Residencias RSJ <<>> EAV Parque Lage

Em Agosto 2016 aconteceram duas residencias realizadas em parceria com a EAV Parque Lage, no contexto do programa "Escola extra-muros". Pensou-se em um programa de aulas para artistas que tivesse o aporte de outras disciplinas, com professores da Escola de Artes Visuais Parque Lage. 

Os residentes tiveram aulas de Damiana Bregalda Jaenisch (antropologia e arte), Daniel Jablonski (filosofia e historia da arte), Franz Manata e Saulo Laudares (filosofia e historia da arte) e Guilherme Gutman (psicanalise e arte), todos convidados por Lisette Lagnado. Aconteceram também clinicas dirigidas pela curadora Michelle Sommer.

A residencia convidou a editora Julia Ayerbe e a curadora Marilia Loureiro para propor dinamicas transversais às aulas programadas, à partir da biblioteca de referencia da residencia.

O Comitê de Seleção foi composto por Lisette Lagnado (Diretora EAV Parque Lage), Daniel Jablonski (representando a Residência São João), a curadora Michele Sommer e o artista Daniel Steegmann-Mangrané.

A organização da residencia foi feita por Antonio Sobral em parceria com Flora Rebollo e Daniel Jablonski. Os residentes foram selecionados via convocatoria aberta.

Residentes selecionados:

Primeira edição / First edition: 11 a 20 de agosto de 2016:

Erika Malzoni
Gustavo Grazziano
Hyngrid Bermann
Isadora Brant
Leo Ayres
Marina Marchesan
Priscila Rampin
Silvino Mendonça
Simone Moraes

 

Segunda edição / Second edition: 21 a 30 de agosto de 2016:

Camila Caballero
Fernanda Fernandes
Gabriela Gomes
Isabela Couto
Jez Smadja
Lucas Cureau
No Tan Parecidos (duo: Pablo Besse / Powerpaola)
Olav Lorenzen
Silvia Jabali

Professores EAV:

Damiana Bregalda Jaenisch é doutoranda em Artes na UERJ com período sanduíche no Collège de France/Paris e mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Realiza pesquisas sobre artes indígenas, com ênfase em rituais e nas relações destes povos com espaços de arte contemporânea.

 

Daniel Jablonski é artista e pesquisador independente, mestre em Filosofia contemporânea (Sorbonne, Panthéon – Paris) e em História da Arte / Estudos de Crítica e Curadoria (Institut National de l’Histoire de l’Art / Columbia University – Paris, Nova York).

 

Guilherme Gutman é médico psiquiatra e psicanalista. Professor adjunto do Departamento de Psicologia da PUC-Rio e professor da EAV – Parque Lage, ambas no Rio de Janeiro. Crítico e curador em artes visuais. Autor do livro William James & Henry James: filosofia, literatura e vida.

 

Franz Manata e Saulo Laudares são artistas que investigam diferentes mídias e partem da observação sobre o universo do comportamento e da cultura da música eletrônica e sua articulação em rede na era da economia da informação.

 

Michelle Sommer é doutoranda em História, Teoria e Crítica de Arte no PPGAV/UFRGS com estágio doutoral junto à University of Arts London, Central Saint Martins, em estudos expositivos. É mestre em Planejamento Urbano e Regional, na área de cidade, cultura e política e arquiteta

Convidados RSJ:

Júlia Ayerbe foi editora sênior da Pinacoteca de São Paulo por cinco anos e meio, e hoje é uma das responsáveis pela Edições Aurora • Publication Studio São Paulo. Uma das vertentes da editora de Julia são textos sobre arte e feminismo que por algum mistério encontram-se fora de circulação. Entre eles, “Por que não houve grandes mulheres artistas?” de 1971, de Linda Nochlin, texto seminal do pensamento feminista na arte, nunca antes traduzido para o português, que desconstrói a mitologia da genialidade por trás da histórica meritocracia.

Marilia Loureiro (1988) vive e trabalha em São Paulo. Transita entre curadoria, pesquisa e prática artística. Estudou Filosofia na USP, Relações Internacionais na PUC-SP, fez parte de sua graduação na Sciences-Po Paris e obteve seu título de máster no Programa de Estudos Independentes do Museu de Arte Contemporânea de Barcelona (MACBA). Trabalhou na 29a Bienal de São Paulo, foi assistente curatorial no MAM-SP e no MASP, e atuou em espaços independentes como o Ateliê397, a Casa Tomada e o Capacete. Foi curadora visitante do lugar a dudas, em Cali (Colômbia), e curou exposições no L’Atelie-ksr, em Berlim, e no Pivô, em São Paulo. Atualmente é curadora da Casa do Povo, em São Paulo.