A FAZENDA | the farm

FAZENDA SÃO JOÃO

 

O programa de Residências São João tem sua sede em uma fazenda histórica do ciclo do café, de 1853, situada na região Serrana do Rio de Janeiro.

 

A Fazenda São João se dedica à produção de cafés especiais orgânicos e ao plantio agro-florestal de alimentos variados. Está localizada na Mata Atlântica e tem 60% de sua área protegida

 

O processo de reflroestamento passa pela criação de corredores de floresta que unem as diferentes áreas preservadas, assim como a preservação das nascentes de água locais. O trabalho de reconstituição do ambiente ecológico natural local já deu frutos muito concretos para a FSJ, como a multiplicação dos pássaros e outros animais.

Nessas  terras  habitam  o  coletivo Terra de Guaxo, que se dedica à lavoura e à manufatura de processados orgânicos, distribuindo sua produção na Feira Agroecológica de Teresópolis e no Rio de Janeiro, através de um website de encomendas. 

Em um antigo vestiário no alto de um dos morros da fazenda funciona o Atelier Z, a oficina de marcenaria onde o designer Benoit Bellet desenha e fabrica moveis utilizando a madeira.

A Deep editora, sediada na FSJ, aos poucos têm se vinculado a esta, incorporando processos criativos da vivência  e a multidisciplinaridade. Fruto da  vontade de abrir espaço para linguagens radicais, que emergem entre a palavra e a imagem, através do livro.

 SÃO JOÃO FARM

 

The art residency São João takes place in a colonial farm built in the 19th century during the historic brazilian “coffee period”. It is located in the north of the Rio de Janeiro state, about 3 hours drive from Rio. 

The farm produces specialty coffee and is aprox. 60% covered by native rainforest and/or re-forested areas. All springs on the estate are protected by fancing and surrounded by appropriate native vegetation. We also work with food forests, and host Terra de Guaxo, a collective of biological farmers.

Also based in FSJ is Atelier Z, the carpentry workshop where the designer Benoit Bellet draws and manufactures furniture using wood from the region.

The Deep editora, based on the farm, have been linked to this, incorporating creative processes of living and multidisciplinarity. Fruit of the desire to open space for radical languages that emerge between the word and the image, through the book.

1/47

iNFRAESTRUTURA

 

A Residência São João conta com diferentes espaços, produzidos e adaptados para Amparar a diversidade de necessidades dos residentes:

 

Casa Lago: ateliê-alojamento independente

Localizada ao lado de um lago, a casa possui 2 quartos + sala/ateliê + cozinha + banheiro. Acolhe até 4 pessoas. 80 m²

 

Estábulos

4 Ateliês independentes instalados em um antigo estábulo da fazenda. 20m² cada.

Escritório

Ateliê com wi-fi (único ponto de acesso à internet). 

 

Alojamentos

A casa sede disponibiliza 6 quartos coletivos, que acolhem até 18 pessoas.

 

Espaços comuns

2 salas de trabalho

Biblioteca

Sala lounge

Bar da sinuca

Estúdio de som (8 canais)

Equipamentos

Disponibilizamos instrumentos musicais e equipamento de som (PA móvel com 2 caixas de som e mixer, 1 microfone Shure com pedestal), além de estúdio de gravação. Contamos também com materiais para a criação artística, como projetor, impressoras a jato de tinta, de fotografias, ferramentas diversas, material para encadernação, etc.

Acervo

A RSJ conta com um acervo de publicações independentes, além de uma biblioteca rica em livros sobre artes, filosofia, literatura, línguas, dicionários, botânica, história, enciclopédias, etc. A casa abriga coleção de obras de arte e gravuras historicas.

iNFRASTRUCTURE

The bedrooms contain from 2 to 6 beds each.

 

Artist studios, rehearsal and office spaces are located nearby the main house.

The main house has dinner rooms, lounge and working spaces.

Part of our library is focuses in contemporary art and alternative living/production contexts. Donations are welcome.

INICIATIVAS NA REGIÃO

1/23

A fazenda e sua região dispõem de um patrimônio histórico importante e bem preservado. E de novas práticas culturais, ambientais e sociais, que os atores do entorno têm implementado com original responsabilida-

de e beleza. 

 

Bem além do 1° telégrafo do país, acervo da fazenda histórica Belém, e de tantas narrativas envolvendo índios das etnias Purí e Coroado, além de personagens  como  Dom  Pedro  II  e  Tiradentes, São José do Vale do Rio Preto se orgulha de ser a "Cidade das Águas de março", tendo Tom Jobim composto essa e tantas outras canções em seu sítio na região.

 

A cidade acomoda saberes sobre a arte da tapeçaria em teares manuais, iniciada com o trabalho de Maria Cláudia Leite, que há 35 anos

começou uma parceria  com as  mulheres da região, que foram deixando o trabalho de meeiras das lavouras para dedicarem-se aos seus próprios teares.

A Biblioteca comunitária Novos Horizontes, na área rural do Morro Grande, oferece cursos de música, teatro, leitura e cineclubes à vizinhança, por meio do trabalho voluntário de pessoas criativas e engajadas.

 

A Escola Marquês de Salamanca, na área rural de Bemposta, faz um trabalho inovador com as crianças, envolvendo a comunidade local no cuidado de  uma horta,  um galinheiro  e  ações 

artísticas, algumas em parceira com a RSJ.

 

Tantas iniciativas incríveis  ainda  a conhecer e a com elas nos conectar.